Antes restritos às estratégias institucionais das empresas, os formatos de vídeos explicativos têm ganhado mais espaço na comunicação das marcas. Essa tendência faz sentido — afinal, não há razão para que elas deixem de aproveitar a eficiência do audiovisual para atrair e envolver os seus públicos de interesse.

Quem ainda tem dúvidas sobre o uso do vídeo deve ter em mente que, comprovadamente, eles elevam o nível de retenção das mensagens — é o que dizem os especialistas em neuromarketing. Segundo eles, 90% dos dados que processamos são visuais e, por isso, é verídica a afirmação de que uma imagem vale mais do que mil palavras.

No ambiente corporativo, também tem pesado a favor do crescimento dos vídeos a diversidade de opções disponíveis para quem resolve empregar esse tipo de conteúdo. Com a digitalização dos processos de produção e distribuição do audiovisual, não há mais limitação.

Todo mundo pode usar vídeo: não importa o tamanho da empresa nem a área de atuação. O que vai determinar o sucesso (ou o fracasso) da estratégia é ter um bom planejamento. Ou seja, é preciso definir com antecedência os objetivos, o público, o orçamento e o cronograma.

No post de hoje nós vamos ajudar você a entender melhor sobre os formatos de vídeos explicativos. Ficou interessado? Então, vamos lá!

1. Demonstração de produtos e serviços

O objetivo principal desse tipo de material é apresentar, em detalhes, as características mais importantes de determinado produto ou serviço. Esses vídeos funcionam bem para as estratégias dirigidas ao consumidor final, mas também para o público interno.

A vantagem do audiovisual, no caso, é que o espectador consegue solucionar todas as suas dúvidas acerca do produto ou do serviço Afinal, em vez de uma descrição estática sobre o assunto, é possível mostrar os diferenciais, exibindo o produto ou o serviço em ação.

Na hora do planejamento, é importante analisar se é mais eficaz produzir vídeos diferentes para cada uma das funções ou concentrar-se na apresentação de uma delas. Dependendo da verba disponível, é possível explorar nesse tipo de vídeo explicativo as produções em animação.

As feitas em 3D são mais caras, porém, podem valer a pena em função do retorno, que costuma ser elevado. Outra opção bem interessante para esses casos é a animação em quadro branco. A ideia aqui é recorrer aos serviços de um bom ilustrador, que descreverá todo o processo no quadro a partir dos desenhos que serão exibidos no vídeo.

2. Demonstração de processos internos

Os recursos empregados nesse tipo de material audiovisual são similares, o que muda é o conteúdo trabalhado. Esse formato é bastante adequado, por exemplo, para apresentar as funcionalidades de softwares ou até mesmo de aplicativos.

Não é indicado elaborar vídeos muito longos — ou você corre o risco de perder a atenção do espectador. Se há muitas funcionalidades para serem apresentadas, opte por materiais diferentes. A estratégia é adequada para melhorar o nível de retenção da mensagem.

Uma alternativa interessante, em termos de recursos, pode ser o motion graphic (videografismo, em português) — ele trabalha, basicamente, com gráficos em movimento. Financeiramente pode compensar e, com um bom roteiro, funciona bem para exposições mais didáticas.

3. Depoimentos de clientes

Mais simples, o sucesso desses vídeos dependem da elaboração de um bom roteiro e, claro, da preparação prévia dos “apresentadores”. O mais importante é ter em mente que o foco da mensagem precisa estar no uso do produto ou do serviço, no detalhamento de suas características.

A vantagem de se trabalhar com esse formato de vídeo explicativo é que ele também serve para reforçar a imagem institucional da marca, uma vez que temos um terceiro testemunhando a favor da sua qualidade.

4. Tutoriais

Bem conhecidos por causa do sucesso alcançado no YouTube, os tutoriais produzidos pelas marcas devem ser usados, principalmente, nas estratégias de retenção de clientes. A diferença em relação aos vídeos de demonstração é que não vamos apenas mostrar as funções de determinado produto, mas mostrar como eles devem ser usados.

Cuidado com a produção: como o audiovisual levará a assinatura da marca, não faz sentido optar por uma execução amadora, que coloque em xeque a imagem da empresa. Quanto mais profissional o trabalho, melhor para a reputação da empresa.

Pensando na orientação estratégica, leve em conta que o formato é ideal para esclarecer as dúvidas do seu consumidor e/ou colaborador, caso seja uma ação de comunicação interna.

Se a ação é voltada ao público externo, não se esqueça de trabalhar bem a descrição do vídeo, uma vez que é provável que o usuário chegue ao material a partir da digitação de determinada palavra-chave nos serviços de busca.

O envolvimento do público costuma ser elevado — nem dá para comparar o engajamento alcançado por um vídeo desse estilo e o atingido por um daqueles textos de manuais de instrução.

5. FAQ Vídeos

Produzir vídeos com perguntas e respostas é uma boa alternativa para quem atua com produtos ou serviços mais complexos. Quer uma boa dica para escolher o conteúdo? Mapeie durante um tempo as dúvidas recorrentes do seu público.

Com relação ao formato, tudo depende do quanto a empresa está disposta a investir. Animações, vídeo-aula, entrevistas com profissionais da empresa… Enfim, são as inúmeras as possibilidades que podem ser exploradas.

O tom mais didático é recomendado, mas não se esqueça de que suas estratégias de vídeo marketing não devem ser tratadas de forma isolada. Ou seja, assegure-se de que os seus conteúdos audiovisuais estejam em consonância com a identidade visual da empresa.

Ao analisar o investimento, tenha em mente que solucionar as dúvidas dos clientes influencia no nível de satisfação dos seus consumidores — o que pode ajudar a marca a aumentar o seu número de defensores.

Como você viu, o que não faltam são formatos de vídeos explicativos para diversificar suas estratégias de comunicação. Para não errar, comece pelo planejamento. Afinal, é preciso avaliar a relação custo-benefício de cada opção.

Só não caia na armadilha de achar que pode abrir mão da qualidade, ok? A concorrência no ambiente digital é acirrada e a atenção do público vai para quem usa todos os recursos disponíveis — e, nesse caso, as empresas especializadas são imbatíveis.

Ainda tem dúvidas sobre investir ou não em vídeo marketing? Veja este dado: até 2020 a expectativa é que 80% do tráfego da internet seja audiovisual. Gostou do artigo? Quer saber mais sobre o uso do vídeo em suas estratégias de comunicação?

Assine a nossa newsletter e receba conteúdos como este em primeira mão!